Tag - história

526858_509907875721452_824581474_n
03 09
0

Annick Goutal

A Annick era uma socialite Parisiense, que se cansou das fragrancias “comerciais” oferecidas pelas maisons Francesas e resolveu começar a desenvolver suas proprias fragrâncias. Então seu talento e olfato apurado conquistaram o créme de la créme de Paris, ela montou sua Boutique na Rue de Bellechasse, e uns anos depois a marca foi comprada pelo grupo Taittinger, que detem direitos de algumas das marcas Francesas mais exclusivas e que não coincidentemente também é o dono do Hôtel de Crillon. O principio por trás da marca é oferecer fragrâncias artesanais…

elizabeth-taylor-cleopatra-wallpaper-2412
20 08
0

Faz a Egípcia!

Os antigos egípcios davam uma enorme importância para o vestuário, jóias e principalmente oscosméticos, e às vezes é difícil acreditar que os óleos, aromatizantes, esfoliação, argila, hena, maquiagem, esmalte entre outros iten [tão comuns e indispensáveis atualmente], já estiveram presentes numa civilização tão distante da nossa. A hena já era utilizada para tingir unhas, escurecer cabelos e pintar o corpo. Nos olhos marcados usavam maquiagem preta e sombra verde ou azul, feita com o pó da pedra Lápis Lázuli. E claro: falar…

DSC00356
13 06
0

Perfume com História

O Espaço Perfume Arte + História, em São Paulo, abriga até o dia 8 de setembro a mostra Os sons e os sentidos em frascos de perfumes, que propõe explorar a relação entre o material e o sensorial tendo como ponto de partida o som. Vinte e sete peças do acervo da Wheaton, fornecedora de frascos para perfumaria (que sempre tem um stand lindo na FCE), foram reunidos. Além disso, alunos do curso de Artes Plásticas da Faculdade Santa Marcelina (FASM) também expõem…

Marilyn-Monroe-Girl-Face-Blonde-Lips
16 05
0

Red lips history

Lábios coloridos passaram a ganhar notoriedade na Inglaterra durante o século XVI, quando a Rainha Elisabeth I popularizou o look de pele branca e lábios vermelhos. Até então, só mulheres da nobreza e atores usavam maquiagem vermelha. Durante grande parte do século XIX, o uso da maquiagem era associado às classes marginalizadas de atrizes e prostitutas. A marca francesa Guerlain foi a primeira a comercializar o batom em 1884. Nos anos 1920, as melindrosas usavam batom vermelho como símbolo de…

vintage_parfum
10 04
0

Relíquias perfumísticas

Há perfumes que são verdadeiros tesouros vintage. Seja pelas lendas que os cercam, pelo aroma, incríveis frascos ou a exclusividade, algumas fragrâncias marcaram a história e nossas peles. Vamos a eles: A primeira água de colônia (que já falamos sua história mais detalhada  aqui no blog) e mais antiga fragrância no mercado é a Farina 1709 Eau de Cologne, criada pelo perfumista italiano Johann Maria Farina. Ele batizou o produto em homenagem a sua cidade adotiva, Colônia, na Alemanha, onde até hoje há uma loja da empresa fundada por ele….

Chanel_5
23 03
0

Inside Chanel N°5

As notas do buquê floral estão no ar. Entram pelas narinas, fixam-se à pele, invadem os sentidos e despertam mistério, poesia, desejos e segredos. Que poder tem um perfume que atravessa décadas compondo uma memória olfativa entre os altos e baixos da história, mantendo seu cheiro inalterado até tornar-se um mito? A resposta parece óbvia quando o nome que ele carrega por si só é indelével e de essência tão marcante quanto sua criadora. Vanguarda da perfumaria moderna, o Chanel…

Naamloos
19 01
0

A História do Esmalte

Apesar de tantos usos na contemporaneidade, o esmalte já integrava o cotidiano da realeza do Antigo Egito. Por volta de 3000 a.C., chineses e egípcios já tinham o costume de adornar as unhas. As mulheres egípcias aplicavam henna preta, as cores mais vibrantes ficavam relegadas ao uso da família real e chegavam a despertar algumas preferências entre as rainhas do Egito. Cleópatra tinha uma clara preferência pela tonalidade vermelho-escura. Já, Nefertiti tinha mais gosto pelo esmalte de tom rubi. Os chineses misturavam ingredientes:…

kiehls
06 11
0

Kiehl’s: de farmácia homeopática a marca cult

Tudo começou em 1851 com John Kiehl, em New York na esquina da 3rd Avenue e 13th Street. Inicialmente, a Kiehl’s era uma farmácia de homeopatia, com especialistas em viajar o mundo atrás de ingredientes. Os farmacêuticos que trabalhavam lá, com seus jalecos e gravatas, faziam os produtos à mão, e customizavam os remédios. Irving Morse, que era aprendiz e construiu sua carreira na loja, assumiu o negócio quando John Kiehl se aposentou, e manteve o nome Kiehl’s porque na…