Blog Posts

beautiful-young-madonna
16 August
0

Parabéns Madonna!

Hoje, vou homenagear todo o estilo e irreverência da artista que mais amo, a rainha absoluta do pop, Madonna! No dia em que Madonna Louise Veronica Ciccone completa 55 anos, nada mais justo que relembrarmos toda a sua influência para a moda, música e estilo.

Nascida em uma família de origem italiana, Madonna nasceu em uma cidade do interior dos EUA, perdeu a mãe quando tinha cincos anos, ficando ao lado de seus cinco irmãos. Ela se mudou para Nova Iorque em 1977 para seguir a carreira na dança moderna. Após se apresentar nos grupos musicais Breakfast Club e Emmy, ela lançou seu álbum de estreia em 1983, que foi sucesso imediato!

Por força da sua profissão, que provoca mudanças de look várias vezes durante os shows, ou da sua evolução que a transformou em tantas outras coisas que não só cantora, Madonna se tornou camaleônica. No início da sua carreira, e também fruto dos tempos “libertadores” que a rodeavam, Madonna usava as suas roupas para fazer um statement ao mundo e aparecia no palco vestida de noiva com seu cinto icônico “Boy Toy” e uma maquiagem bem caseira, fazendo hinos à libertação. O visual era todo coletado em brechós e lojas de rua, nada era de grife — o look foi adotado até no filme estrelado pela cantora, “Procura-se Susan Desesperadamente” (1985). O seu estilo se tornou uma (ou a maior) tendência de moda feminina dos anos 80.

Ela quebrou tabus ao tratar de temas polêmicos como sexo e religião, e não exitou em defender os direitos dos homossexuais em qualquer lugar do planeta, mesmo naqueles onde a repressão ainda vigora.

Nas portas dos anos 90, deu-se início a fase Jean Paul Gaultier, e foi nessa época que surgiu um dos mais (i)cônicos itens de estilo da cantora, o bustiê criado pelo designer, utilizado durante a Blonde Ambition Tour (1990). A essa altura, a sua fama era tal que não era só Gaultier que queria vestir a cantora, e seguiram-se colaborações com a Versace e a Dolce & Gabbana (que criou looks para a sua The Girlie Show World  Tour, de 1993).

Várias de suas canções se tornaram bastante lembradas e executadas, entre elas “Like a Virgin“, “Papa Don’t Preach“, “Like a Prayer“, “Vogue“, “Take a Bow“, “Frozen“, “Music“, “Hung Up“, “4 Minutes“e “Celebration“. Madonna tem sido elogiada pela crítica por suas produções musicais diversificadas que servem ao mesmo tempo como meio de chamar atenção para controvérsias religiosas, sociais e sexuais.

Sua carreira foi reforçada por participações em filmes que começaram em 1979, apesar dos comentários mistos. Ela ganhou aclamação da crítica e um Globo de Ouro de Melhor Atriz em Comédia ou Musical por seu papel em Evita.

Mas estilo é estilo e nos anos 2000, vimos uma infinidade deles na mesma pessoa: Madonna neo-gótica de cabelo preto e longo, uma Madonna cowgirl no seu vídeo “American Pie” (2000), a Madonna mãe, a Madonna cabalista, a Madonna ginasta (2006, na “Confessions Tour”) e a Madonna diretora de cinema (2012, no filme “W.E”). Em fevereiro de 2012, ela realizou uma das performances mais comentadas da sua carreira, no intervalo do Super Bowl, com figurino Givenchy Haute Couture de Riccardo Tisci, cantando um medley dos seus maiores hits. Essa performance foi uma prévia do que as pessoas podiam esperar da  tour “MDNA”, que aconteceu de maio a dezembro do mesmo ano. Do tapete vermelho aos palcos, o que diferencia Madonna das restantes é que a cantora abraça o seu estilo com todo o coração.  O divertido é que nunca sabemos o que vem depois.

Parabéns!

Rainha sempre! Inspira gerações!